Avenida 25 de Abril: endereço pessoal

Ana Martins
4 min readApr 24, 2024

A Avenida 25 de Abril foi uma autêntica escola. Foi lá que nos formámos no receio e na submissão.

Cravos no chão das nossas salas, por Ana Martins.

Quando éramos pequenas, os nossos pais mudaram-se para apartamentos situados na Avenida 25 de Abril, em vilas situadas no coração de Portugal, a duzentos quilómetros de Lisboa, ou mais. Foi assim que crescemos familiarizadas com a expressão 25 de Abril, mesmo antes de sabermos o que significava. 25 de abril era onde vivíamos. Era o nosso endereço.

Situada na parte nova das nossas vilas, a Avenida 25 de Abril era uma via importante e relativamente larga que ia dar às escolas, sendo frequentada por educadores, pais, jovens e crianças. A nomeação não terá sido acidental, já que a rua conduzia, literal e simbolicamente, ao futuro. Percorremo-la muitas vezes, a caminho da escola e de volta ao nosso endereço, de várias formas: a pé, de carro, de bicicleta, de patins, de skate, para cima e para baixo, com e sem livros, sozinhas e acompanhadas, a sorrir e a experimentar penteados, a morrer de vergonha, a apaixonar-nos loucamente. Nós éramos o futuro e o futuro movia-se, como sempre acontece, sem saber que o faz no tecido geográfico da História.

Lá no cimo da Avenida, nas salas de aula, líamos Júlio Dinis, Sophia e Alice Vieira. Cá em baixo, junto ao nosso quarto, a Avenida avançava pelos anos 80, ultrapassando-nos. Nós, meninas brancas…

--

--